Piloto automático

Cinco frases e ainda não decidi se esta que estou escrevendo será mesmo a primeira, a oficial. Deixe estar, que seja ela, já que insiste. Não mais parece que quem tece esta colcha sou eu: eduquei meus pensamentos de forma que cresceram egoístas e escoam para folhas por si próprios, sem que eu possa interferir. Mas também não me tiram esse direito, que é meu e só meu, de achar o que bem entendo sobre o que nem sempre tão bem vejo. Eu estou gostando de ser conduzida.
No começo da valsa não se sabe o que fazer: os olhos coram e os pés gaguejam, as palavras tropeçam e caem machucando o ouvido do parceiro. Começa-se então a incorporar o ritmo: um pra cá, dois acolí, três na esquerda e, toc toc, piloto automático aguarda no dia dia seguinte.
Coisa mais chata não há de ter nem aqui nem lá, onde não se conhece: o piloto automático. É o vilão, a rotina, o empecilho; com ele perde-se o prazer dos detalhes e a graça do momento curto que tatua-se usualmente no peito. Já senti isso, não meto-me a mentir minhas manias menosprezáveis, pois para mim não as são. Talvez agora eu esteja começando a quebrar o ciclo.
Acostuma-se a escrever com regras e apego às manias, dizendo-se "É meu jeito de dizer pela caneta." Então que a engula, já que o sangue atrofiou as novas tentativas de se passar a mensagem; talvez a tinta possua melhor desempenho. Que não haja aqui maus entendidos: estilo é uma coisa, corrente é outra. Digo porque estava presa em mim e todo momento em que pensava em dizer algo, tinha sempre o mesmo núcleo.
O problema pode ser apenas meu, uma obsessão só minha que fantasiei ser de todos para essa pele não parecer tão desconfortável. Aliás, é sempre assim: meus gritos são de letra, meus sentimentos de desenho. Quase nunca sei dizer a ele o que merece ou pensar em outra abordagem.
Tola sou, deixe-me aqui, aonde me possam ler sem que chame atenção. Que pelo menos respeitem, não peço que entendam. Estava apenas criticando minha alforria. De forma partidária, como notou-se, espero eu, mas ainda minha - ou de meus filhos egoístas? Deixe estar, que sejam eles, já que insistem.



Foi falado em sala sobre meu blog. Senti bastante vergonha, e um pouco infeliz por agora uns ou outros que me conhecem começarem a ler. Que não se ofendam, não estou brava, apenas mais transparente; me incomoda um pouco.

7 escafandrinhos disseram algo:

Anônimo disse...

Own, tá ficando famosa tah?!

aheuhaeu =p

Não posso nem zoar direito... Já que sou fã de carteirinha perdi este direito para ganhar outros =x

=**
Beijo Lêlê..

Rodolpho Padovani disse...

Ah, quanto tempo não passo por aqui e mais uma vez vim tropeçar nessas linhas muito bem construídas e profundas, me vi em alguns trechos do texto, me sentindo como um escravo da rotina que tanto me enlouquece. Eu quero inovação, quero dias diferentes, quero mudanças, mas querer é só querer, às vezes, hehe.
Ah e sobre terem falado do seu blog, eu te digo que você não tem motivo para ficar envergonhada, pois escreve muitíssimo bem, mas eu entendi seu ponto de vista de conhecidos lendo suas palavras.

Beijos.

Rodolpho Padovani disse...

Bom, vim responder por aqui, pois não se você veria no twitter, haha. Eu tenho 22 anos (com corpinho de 18, mas não espalha, hauhaua). Vou precisar das minhas habilidades no vestibular no final desse ano, tomara que dê tudo certo, hehe.

Beijos.

Jeniffer Yara disse...

Não deu pra ler o post inteiro,mas não sinta vergonha das pessoas lendo seu blog,ele é maravilhoso mesmo *-*

Beijos

Anônimo disse...

Se não queres aparecer, não se exponha.

Leticía Gomes disse...

são mínimas as pessoas com quem eu falo sobre meu blog, minha professora de literatura que falou para a sala, sem eu saber antes. agora postei no meu facebook.
eu nao disse que nao quero aparecer (alias, quero às vezes, se for por algo bom),e nao me expus.
eu tenho minha liberdade para tomar minha decisões, por favor nao interfira se não me conhecer.

Forum Celular espiao disse...

Gostei muito deste site e por isso resolvi colocar uma mensagem para conhecimento de todos. Já existe uma maneira de se fazer grampo de celular. Chama-se telefone espião. Você pode encontrar no site www.celularespiao.net