Quero uma máquina de escrever


Não estou comentando e lendo dificilmente alguns blogs, nem nos meus preferidos comento, e não é por falta de tempo mas de vontade — devo ser honesta, blogs não me chamam mais tanto a atenção. Peço desculpas, não vou me ofender com ofensas para mim, só esclarecendo. Ainda escrevo de vez em quando pela necessidade. Meu diário de papel é que está movimentado. Não sei se está soando mal educado, mas estou tentando ser o mais delicado de mim. Obrigada e perdão.

Então é assim: relativo. Sou poeta média para mim, boa para os que não entendem direito e ruim para os inteligentes. Ou não? seria eu boa para os que conhecem literatura e ruim para os que não conseguem entender o que digo muito porque nunca passaram por algo parecido?
As frases são muito curtas para minha sequência de pensamentos. Não há poréns na minha cabeça, é como um túnel do qual pela entrada não se vê ponto de luz no fundo, alertando — ou aliviando — através de um sinal.
Na minha cabeça esteve uma cadeia de ideias da qual ainda estou tentando me libertar. É algo próximo do que tentarei dizer nos seguintes parágrafos (sempre que digo isso escrevo menos de duas linhas).
Eu nasci de minha mãe, então cresci e tive contato com formas de pensar diferentes, sendo que minha moral ainda está em formação. Desde o Big Bang, desde os coacervados, havia Algo controlando tudo isso. Não é possível que um grão miseravelmente pequeno exploda e, algum tempo depois, eu esteja escrevendo pelo computador.
Isso é muito complicado, partamos para a segunda parte: estou aqui viva e com lembranças de quem já morreu e excitação para conhecer aqueles que ainda irão nascer. Deve ser lamentável demais ser ateu. Você nasce da ciência e depois morre muito provavelmente sem nem deixar legado útil à alguém. Não se crê no que não se vê. E o vento? ele também não existe?
Além dos demaises, é curioso sermos mecânicos para descobrirmos que não há definição para o que se sente. Uma lágrima é o cúmulo da gota d'água: significa que algo está mexendo por dentro do sangue, sem que haja tecido para isso, orgão para isso, sociedade para isso.
Como pode alguém passar a vida inteira sem olhar para o céu e pensar como é bonito? Onde estamos nós?
Meu trabalho há de ser algo que não mude a vida material mas a espiritual. No final, você morre e deixa aqui tudo o que conquistou: todo o seu desgaste, todas as saídas com os amigos nas quais você não estava presente resultaram em lixo que, à propósito, deve estar complicando a vida de alguém nesse momento.
Veio hoje uma criança de cinco anos, estranha, me perguntar por que as pessoas viravam bandidas. Não sabia eu o que dizer.
Acho que falta mesmo, Bia pequena, é colo de mãe e não preguiça de ensinar valores. É tempo bem usado, é amor, é vida, é escola, é carinho, é... Nem sei.
Para onde nós estamos correndo? A salvação é bem aqui.

Rodolpho P., Felipe E. e Bruno: não comento mas leio sempre que posso, vocês são os melhores :)



6 escafandrinhos disseram algo:

Rodolpho Padovani disse...

A vida da gente é esse interminável jogo de perguntas e respostas, cheio de mistérios que morreremos sem saber a metade, mas a gente tem que continuar vivendo, sentindo, fazendo o que tem que ser feito.

PS1: Ando meio ausente dos blogs que acompanho tbm, em parte pelo mesmo motivo que você, mas sempre que posso apareço, comentando ou não. Não achei que você foi mal educada, apenas sincera.
PS2: Fiquei feliz por meu nome ter sido citado e agradeço por ser um dos que você lê e gosta. Obrigado mesmo.

Bjs =)

Bell Souza disse...

Nem boa, nem ruim. Diferente apenas! Sempre bom ler teus pensamentos.
O significado nem precisa estar implícito, só, palpável!

Bell Souza disse...

Nem precisa agradecer. eu gosto daqui. sinto-me bem aqui. gosto das palavras, da tua forma peculiar... É uma pena o fato de vc postar tão pouco, mas me delicio com cada parte que aos poucos você continua a dar.

Jeniffer Yara disse...

É verdade,para onde nós estamos correndo,se a salvação somos nós mesmos?!
O ser humano se perdeu demais,se vendeu demais,se conrrompeu demais,e só ele pode reverter essa situação,têns toda a razão!

Ah que pena que não vai estar mesmo mais presente aqui na blogsfera =/
Gosto muito dos seus textos!

Beijo

Amanda disse...

Oi amei o post *-*
Tem selinho no meu blog de natal !!vai lá é pegue para vc !

Marcos de Sousa disse...

Gostei bastante do seu blog e desse post, particulamente. Na minha humilde opinião, você escreve muito bem.
Às vezes também não entendo como as pessoas conseguem passar a vida toda sem acreditar do invisível, no sobrenatural.

Estou te seguindo...

Beijos