Você é, eu éramos

Sou um conjunto de analogias do mundo em que não vivo. Quando se pensa que algo é complexo, este estaciona no pensamento.
Peço para meus olhos não enviarem a leitura de meus livros à mente, mas ao coração. Ora, não há melhor entendedor do que o peito. Por isso, leia o que aqui deita com o que pulsa.
Somos corpos com teorias únicas e necessidades em comum. O egoísmo me fecha o rosto e a arrogância me tranca a face. Faz-se o que uma vez em perigo na esfera psicológica? Estou correndo para um abraço distante, talvez não seja um lar. Os comentários sobre meu futuro e minhas crenças por vezes me intrigam.
Em verdade, desaprecio conselhos. Mandar-me estudar é o mesmo que dizer: "Não coloque sua mão no fogo, ele queima." Pois eu respondo: "Não coloque sua mãe no topo, ela só é mais velha." Minha mãe de fato é o espelho que escolhi para comprar segundo a imagem, não há dúvidas quanto a minha admiração. Mas creio que não sejam necessárias falas dessa categoria.
Outra verdade forte é que com o passar dos dias vejo-me mais velha. Os textos daqui são mais líricos do que antes e o amor real nunca esteve tão perto. Eu coloquei meu pé do lado de fora de casa mas minha cabeça ainda está lá dentro. Posso continuar assim? Só mais alguns anos, prometo. É bom demais sentir-me não responsável por mim inteira.
Enquanto eu estiver com ele, terei esse dilema: devo dar-me ao seu criar ou cuidar-me eu mesma com maior cautela para evitar ferimentos? Prefiro dar-me aos poucos.
Confio porque sei que ele não terá ido embora de manhã quando acordar, deixando um tipo de prova que não é um sonho. Hayley Williams ainda tem muito a me dizer.
Isso não só é a única excessão, como é a maior delas. É como um mito do qual só eu sei e só eu ganhei a recompensa. Menos complexo, só ilustrando.
Mas deixe-me ir, preciso parar pela manutenção de mim, pelo bem de mim. Sempre falo demais, e o pulsar passa a ser contado no metrônomo.
Boa noite, coração. Olá, olhos.

18 escafandrinhos disseram algo:

Thais Cristina, disse...

Letícia, não deixo de olhar seus textos e compreender uma menina, quase crescida, porém temerosa - não me entenda mal - sei que não posso julgar ninguém, mas acho que criei um certo vínculo com você e posso me abrir. Então, coloca isso tudo pra fora. Você tem mais a oferecer do que imagina!

Muitas saudades dos seus textos perfeitos, e falo isso de coração, de uma menina que passou o dia inteiro chorando, sem motivo aparente, agora se abrindo completamente para uma "estranha".
Muito obrigada por voltar ao blog.

Beijos ;)

Anônimo disse...

Fiko meio perdido qd leio rapido seus textos, amanha d manha ou d tarde ou d noit (qd eu chega em casa) leio com mais calma...

To orgulhoso d algumas coisas que leio como se eu mesmo tivesse ensinado a voce (nao que eu tenha... n ensinei nda, eh soh uma analogia pra explikar o orgulho) É gostoso entender um pouco do que pensa...

e de pouco em pouco vou montando um quebra-cabeça beem complikado =]

gosto d nao saber muito, mas adoro não saber pouco... quanto mais voce tiver a me mostrar, mais feliz eu fico de vir ao blog =D

beeijo gateenha (pra naoo deixar o ogra* oficial ;])

=*

Jeniffer Yara disse...

No final,era um devaneio num sonho,e não há devaneio que não tenha um pouco de sua realidade. Entendo você quase completamente,já que só nós mesmos nos entendemos por completo,ou não,rs. Beijo ;*

Rodolpho Padovani disse...

E tudo o que li aqui eu guardei no coração... e vc está certa de se dar aos poucos, qdo a pessoa se entrega de uma vez ela se perde de si mesma e às vezes o outro não está preparado.

Bjs =)

Lury Sampaio disse...

"É bom demais sentir-me não responsável por mim inteira."
O ruim é quando começamos a ser forçados a ser ;/
Aproveite!
beijos.

Rodolpho Padovani disse...

Lê, tem selo pra ti.

Bjs =)

Letícia disse...

Letícia *-* ! Cara, fico sem palavras com os seus textos, vsê sabe disso.
Perfeito, perfeito, perfeito.
Parabéns, parabéns, parabéns (;
Letícia Lispector! haha

Beeijo :*

Nina Auras disse...

Sem palavras. Devaneios durante seus textos mostram como me atingem e como são lindos, verdadeiros. Sem o que dizer. Não existem palavras para isso que você ainda não tenha usado ♥

Camila disse...

Leti, quando tempo que eu não venho aqui ): Mas enfim, passei pra avisar que fiz um novo blog: http://blogcamilaq.blogspot.com/ Queria muito sua opinião *-*

beijo.

Camila disse...

Que bom que gostou do novo blog *-* E encomende mesmo, vale a pena, a Jana é super simpática e os lays que ela faz ficam lindos. E não tem problema se for parecido com o meu não, pode pedir do jeito que quiser, sem problemas :) Ah, e obrigado por seguir.

xx

Fernanda disse...

Como já cansei de dizer,seus textos são fantásticos em delicadeza e de puro sentimento.

Quero ler o "Letícia Poesia" ,me add me autoriza?

dead_angel_182@hotmail.com

Gêsa disse...

"Enquanto eu estiver com ele, terei esse dilema: devo dar-me ao seu criar ou cuidar-me eu mesma com maior cautela para evitar ferimentos? Prefiro dar-me aos poucos",

Descreve exatamente algo pelo que passei a pouco tempo, eu ainda estou me dando aos poucos, mas ao menos já tomei a decisão.

Adorei o seu jeito de escrever , muito bom mesmo.

Beijo, e até mais. (:

João Lenjob disse...

Olha, continuo postando cinco poemas diarios em meu blog, http://lenjob.blogspot.com, mas vim apresentar o meu castelo, http://castelodopoeta.blogspot.com, que é interativo, com poemas de outros poetas, videos, curtas, entrevistas, exposições e etc..., sempre de arte, fotografia, moda (e segunda será postada a entrevista com a booker Sandra Sayão da Ford Models de Minas) e esportes alternativos e queria sua visita lá. Aguardo!
Atenciosamente,

João Lenjob

Os Teus Passos
João Lenjob

Se estais tão triste
Comprometo-me com teus passos
Os sigo sem a auto-piedade
E deixo escorrer em mim as tuas lágrimas
E faço-me a tua ternura
Faço-me o teu destino, teu menino, tua vida
E busco a felicidade e que venha dobrada
Que chegue repleta de sonhos
Que enriqueça cada segundo de esperança.

Se estais tão triste
Interfiro em todos os teus passos
E choro como companheiro
E prometo que jorrará em ti dias melhores
E faço-te nossos momentos
Faço-me a lembrança de uma serpentina, minha menina
E escolho o teu sorriso como recordação
Que aconteça com naturalidade
Que seja enorme como foste para mim, nobre mulher.

Nina Auras disse...

Então, vim aqui mais uma vez me maravilhar com um mesmo texto, um que já havia lido e comentado. Mas merece outro comentário (:

Ariane s.s disse...

Como você escreve bem , em tudo.
Amei o blog To seguindo , segue lá o meu ?
Beijos

Lizzy S. disse...

Esse é meu novo endereço:
http://a-veelhanovidade.blogspot.com/
beijos.

Brunno Lopez disse...

A complexidade é o maior charme que pode existir.
E todos esses atributos intrincados são cativantes ao extremo.

E a sua manutenção é necessária.


Demorei, mas consegui voltar aqui.

Ғelipe Eller disse...

Eu já li esse texto mais de uma vez, e não apenas esse em especial, mas os seus textos são metamorfoses constantes. Lê-los sempre me exprime algo diferente, outra reflexão ou delírio, diferente do anterior. Prefiro não comentá-las, mas o meu elogio é impossivel guardar. Me admira a tamanha maturidade que voce tem ao sentir e escrever. É pra qualquer menininha de 15 anos ficar invejada. Parabéns pelo texto, sou seu assíduo leitor e tenho orgulho de ter voce no blogroll do meu singelo blog.

PS: Não é pra fazer média não, foi sincero viu, rs :D