Treino

Pegávamos as malas lotadas de bonecas e esparramávamos tudo pelo chão: roupas, panelinhas, móveis em miniatura. Era um ataca-tudo, eu pegando tudo o que queria em minha casa e ela também. No intervalo de uma hora, colocávamos os objetos no lugar onde ficariam bonitos, para depois a brincadeira em si começar.

-O meu namorado vai chamar Gustavo.
-O meu, Thiago.
Os nomes eram sempre os mesmos, as bonecas sempre com as mesmas roupas. Priscila gostava de fazer um quarto só com berços, banheiras de bebê e trocadores. Eu, pitoresca quando pequena, fazia um quarto adolescente e jurava morrer solteira.
A parte mais legal era quando os bonecos se beijavam, o plástico em atrito. Mas para nós era tudo de verdade. Não podia ter boneca pelada, nem roupa jogada no chão do quarto. Brigávamos por uma cama, porque só eu tinha uma. No ataca-tudo, Priscila pegava-a para sua casa, e eu embirrava em posição fetal no canto do quarto.
-O que foi, Lê?
E eu respondia:
-Nada, eu sou pobre.
Então ela quase chorava junto e me cedia a cama. Eu ria de felicidade, para depois vê-la triste.
-O que foi, Pri?
E ela respondia:
-Nada, eu sou pobre.
No fim, o colchão ficava com uma e o forro da cama com a cabeceira com a outra. Priscila tinha seus filhos, eu tinha meus namorados. Ela vivia um amor platônico e eu era, no vulgar do dizer, uma assanhada. Parece que nada mudou, apenas colocou-se em vivência o que antes era manipulado pelas mãos imaturas.
Mãos que agora sabem tocar, mãos de moça.

15 escafandrinhos disseram algo:

Cris . disse...

Que texto gostoso de se ler,
que saudadees das minhas tardes brincando de babie :]
tãaao Bom.
adorei a historia da cama, quase morro de rir :]

#]

Beatriz disse...

Eu acho. Acho que senti falta mim nesse post. RAAW, to brava. AUHSUDIADS, Nao nao estou nao, sim voce chegava em casa e já ia se jogando no chão daquele apartamento que me dá boas lembranças, vestia TODAS. as minhas roupas e depois ia embora como se nada tivesse acontecido haha eu nao me lembro disso juro. Maaaaas você é uma das minhas melhores partes, sim voce é parte de mim! Eu te amo muito viu menina que me leva a uma festa de criança onde a sua mãe cai da cadeira e nós, porque estavamos correndo em volta da árvore com uma garotinha, nao vimos o incrível fato. beijo.

Carolina Hermanas disse...

AHAHAHHA, então tu é assanhada agora? D: , brincadeiiirinha *_*.
Ameeeei o conto; me faz lembrar de quando eu brincava com a minha prima, era perfeito (:
-


Beeijinhos carinhosos#

Raíssa Santos disse...

Ler isso me lembrou minha infância. Era exatamente assim, comigo e minha prima Thamires. Ia na casa dela com uma mala e vice-versa. Era tão divertido KKKKKKKKKK

Estou tentando fazer o livro -q Mas sei lá, eu fico tão desligada, as vezes perco idéias x; KK Amo anjos e fantasmas *-*

Beijos

Winny Trindade disse...

Nossa, nós duas somos muito parecidas.
Até hoje a minha irmã ainda acredita em contos de fadas.
Era divertido.

Abraço meu.

Camila Mancio. disse...

você escreve tão bem, amei, sério.

Bianca Ribas disse...

Ahh Le, lindo, lindo. Percebo (e acho) que esta história é real. Quando era criança gostava de poli, e as roupas era impecaveis. Sempre cmprava duas camas, duas cabeceiras poara eu brincar com uma amiga.
Adorei muito o texto!

Sara Roosevelt disse...

Perfeito como sempre!
Deu uma saudadezinha da infância !
Como era bom esparramar aqueles brinquedos no chão.
Hoje a diversão tomou outras formas né!?
adorei, mesmo !
*-*


"antes era manipulado pelas mãos imaturas.
Mãos que agora sabem tocar, mãos de moça. "

Bianca Ribas disse...

Adorei o texto. Quando criança era a mesma coisa, só que eu tipos assim: a-m-a-v-a POLI. haha Uma viciadinha!

Thais Cristina, disse...

ownt *-* me lembrei das brincadeiras boas com as primas nas férias, nossas barbies moravam numa república, haha. a gent também nunca se decidia com quem ficava a cama. :)

⋆ NATHALIA MARCONI ↯ disse...

Quem nunca brincou de barbie e brigou por causa da unica caminha ! Sempre me identifico com os seus textos.
Parabéns ;*

Lury Sampaio disse...

Aaah quee lindo cara! Me vi descrita brincando com bonecas e fazendo com que elas tivessem casa e namorados.
beeijo.

Monique Premazzi disse...

Me deu saudades da minha epoca de barbie, era assim mesmo. Vendo agora parece tão inocente, tão infantil e tão fofo. Sinto falta disso. Lindo texto! *-*

Que nada, você sempre escreve bem amiga. Não diga isso -q E Não se preocupe com Pulsing, certo? Pode demorar o quanto quiser *-* Alem do mais, você ja está me ajudando muito e te cobrar rapidez é a última coisa que vou fazer.

xx

Lettys M. disse...

kkkkkkkkkkkkkk'
Quem não tem essas histórias pra contar?
Me lembrei de quando eu brincava com minha prima,até mesmo as birras :/
E no final,acabava por dividir tudo!
Beijos :**

Ps: Sub-blog?
conversecom.letys@hotmail.com xD

Atrevido disse...

Muito legal o seu blog. to te seguindo...