Direfente


"Você disse que me emprestaria qualquer coisa
Acho que vou ficar com sua companhia" Kate Nash - Paris.

Tenho mania de fazer coisas que acho que vão achar estranhas.
Mania de batucar em tudo, de fazer de meus dedos pernas que andam por corremãos. Mania de estralar as mãos, e o pescoço. Também as pernas, dedos do pé, pulso, junta dos dedos da mão, braço e, quando consigo, joelho.
Mania de falar sozinha, às vezes em inglês sem perceber.
Tem gente que tem nojo, tem gente que acha louco. Eu acho normal porque a mania é minha.
Posso desabafar um pouquinho aqui?
Posso.

Escrever me dá um pouco de medo.
Porque escrevo e é como se estivesse tirando a roupa. Não sei se transpareço demais pelas palavras. Desejo que elas guardem o que não quero mostrar. É aí que falho, porque escrever, quando se leva a sério, é colocar o que está mais dentro para o que está mais fora: os olhos. E não são só meus os olhos que leem isso.
Pessoas comentam sobre o que escrevo, cada vez mais, então minha vida está exponencialmente exposta. Não que isso seja de extrema importância, mas me tira do conforto pleno. Eu escrevo para mim, acima de tudo. Escrevo este blog, mais outro de poesia e assuntos mais pessoais ainda, um diário e um caderno de músicas que tento compor e nunca consigo. É o suficiente por enquanto.
Tenho medo também de não agradar meu leitor. Sei, é insegurança, e o caminho devia ser o oposto. Mas eu não sou como as outras meninas que apenas escrevem sobre relações e sentimentos comuns. Eu escrevi há pouco tempo aqui sobre uma menina que virou uma árvore e caiu sobre a terra esmagando uma formiga. Ela conversava com seus ossos e eles respondiam. Nunca vi ninguém escrever nesse grau de insanidade. Mas para mim não é louco, é bonito.
Talvez seja só medo de não ser entendida. E deixada para trás. A parte boa de minha insegurança é que me torna humilde. Eu prezo demais a humildade de uma pessoa. E chega de escrever. E você, chega de ler.

12 escafandrinhos disseram algo:

Lury Sampaio disse...

Mas a loucura é algo tão belo não?
Eu tenho essa mania de falar sozinha e às vezes em inglês também kk'
beijos.

Barbara Salvan disse...

Que linda a postagem...
Eu também sou assim como você... um pouco insegura em relação ás pessoas...
Mas relaxa, seu blog é lindo e sempre que eu posso vir aqui eu me encanto!
Beijos, tudo de bom :*

Marcela disse...

aaah, perfeito aqui *----* nossa! Já estou seguindo flor. Bjs

Jeniffer Yara disse...

Coisas loucas ás vezes são as que mais fazem sentido.E a humildade que vêm da sua insegurança te faz uma ótima escritoram,por que devemos ser assim,nos preocupar com o que escrevemos e com o que as pessoas lêem e se vão entender ou não,mas sempre escrevendo.Normal toda essa insegurança de vida exposta e coisas que podem não ser entendidas.;)

Bjs!

Lettys M. disse...

*--*
Perfeito !
E eu queria escrever metade da loucura que vs escreve :p
Porque todos os seus textos são perfeitos!
Beeijos :**

Cris . disse...

aii ai nos temos tantas manias loucas não é mesmo ?

Escrever sempre nos dar um pouco de medo, afinal estamos escrevendo para o mundo aquilo que só a nós pertence, se a pessoa do outro lado vai gostar ou não, não é problema nosso. A diversidade é muito grande e aberta para todos, vc não precisa ter essa insegurança pois éé tão querida, e escreve super bem, mas o legal é que te torna mais humilde *-* olha que coisa boa, e chega de escrever :]

Beiiijo meeu flôr .

Yasmin c.k. disse...

Quando escrevemos colocamos nossa essência, é possível enxergar parte de nós em cada texto, o problema é que quando temos um público e cada vez maior os nossos textos passam a mostrar outra coisa. Foi por isso que dei um tempo de blogs, precisava voltar a escrever para mim, escrever o que eu quero acima do que as pessoas vão comentar, claro é bom ser elogiada mas é melhor ainda ver um texto puramente seu, ali agradando ao mundo sem precisar se adaptar a ele.

Thais Cristina, disse...

E é por isso que eu adoro ler o que você escreve aqui!
Porque no seu blog, encontrei textos com os quais me identifico e uma pessoa que, talvez nem saiba, mas que já chamo de amiga - você.

p.s: saudades de vir aqui, mas o pc quebrou, agora paciência :)

Larissa disse...

Antigamente eu me importava muito com o que as pessoas tinham a dizer sobre o que eu postava no blog. Mas o tempo foi passando e fui me conformando de que, o blog é meu. O que eu escrevo são as minhas coisas e não escrevo pra ninguém, escrevo para desabafar, mostrar às pessoas o meu lado de ver as coisas. A gente vê isso com o tempo, mas nunca é tarde também :)
E eu adoro o seu blog, adoro teus escritos. Tua insanidade é de se apaixonar.

Um beijo, flor.

Brunno Lopez disse...

Concordo.

Escrever é se livrar de peças de roupa...

Você consegue grandes feitos aqui.

Anônimo disse...

Tô de olho nos posts ;]


Joy =*

Jaqueline Jesus disse...

No começo, quando criei meu blog eu me sentia assim tb, tinha medo de me expor demais e por issoa até parei de atualizar o blog por um tempo, mas depois vi que a escrita é minha maneira de extravasar e para não ficar tão exposta as vezes escrevo sobre mim em terceira pessoa x)
Ah eu amo escrever, e não largo isso por nada.