Você cresceu rápido demais

----------------------x Para o projeto Letra e Música
Quando eu nem sabia quem era, você me pegava no colo e me levantava até quase raspar os poucos fios de cabelo no teto. Me dava colo, coberta, comida, risada e, acima de tudo, sua companhia calorosa. Lembro que eu acordava cedo e grudava os dedinhos sobre o apoio do berço, querendo mechê-lo quando eu era a única coisa que tremia. Gritava para te acordar, mesmo só vendo seus pés sobre a cama, se mechendo como se mechem até hoje.
São essas suas marcas únicas que vão ficar sobre mim, tatuadas como se tivesse ferrado a alma ao fogo. Quando você não podia me dar atenção, eu me esperneava para ganhá-la, e você realmente me acolhia. "Não consigo dormir! Os brinquedos do baú estão fazendo careta para mim!", eu gritava do meu quarto quando já tinha seis anos. Você corria até minha cama, mesmo nossos quartos sendo lado a lado, e me fazia carinho na cabeça até eu adormecer.
"Não vai à pé, eu te levo até lá.", você dizia ao telefone querendo me dar carona de, no máximo, dois quilômetros. E eu deixava, mesmo porque dispensar sua companhia não é uma coisa muito fácil. "Não compre esse carro, você não vai gostar.", você me disse ao telefone 15 anos depois. Realmente, não servia para nada. Vendi dois anos depois, lembrando da sua cara de feliz por estar certo desde o começo.
Eu deveria ter te ouvido mais, te abraçado mais. Não devia me zangar tanto quando tentava me acordar nos domingos de manhã, batendo palma e falando alto: "É meio dia! É meio dia!" Eu sabia que era nove horas da manhã.
Estou sentada nessa poltrona desconfortável há dois dias. Parece cimento em forma de cadeira, e essa paisagem azul clara me irrita. Não duvido que sua cama esteja mais desconfortável, e me sinto mal por não poder pagar todo o conforto que lhe devo. É o máximo que consigo, pai. Queria muito que todo esse transtorno fosse desnecessário, que estivéssemos em casa comendo panquecas no café da manhã, naquela mesa imensa de madeira que mamãe jurava nunca dar embora.
Você abre os olhos de vez em quando, como quem só quer checar que estou ali. Espero que continue abrindo sempre, e que chegue uma hora que você possa andar até o meu carro com eles totalmente abertos. Eu vou lutar por você até que seu coração pare de bater.

10 escafandrinhos disseram algo:

Julia Melo disse...

Ganhou já hein ? asuidhasiu

13 porquês, conta a história de um menino, que chega um dia em casa com um pacote, e descobre que são fitas, de uma menina do colégio dele que se matou a algumas semanas atrás, e se ele recebeu aquelas fitas, ele é um desses 13 porques.

Sara Roosevelt disse...

*-*
Lindo lindo!

Camila. disse...

Texto lindo, boa sorte no Letra e Música :}

xx

Rah C. disse...

Amor, amor, cada dia entendo menos. Sei lá, amor tinha que ser mais fácil. Mas quem sabe se fosse não teria graça HAHA' Amei seu post, boa sorte *o*
beijos

Caroline disse...

Lindo texto. Você escreve muito bem.
beeeeeijos

Larissa disse...

AH, que coisa mais linda. Os pais são tudo o que mais precisamos. Agradeço à Deus por ele ter me dado o meu, rs.

Um beijo.

Sucesso no Letra e Música.

dianaBruna disse...

liiindo texto
emocionante, ate
obrigada pelas visitas no 'matemática'
é muito importante ter a participação de outros blogueiros por lá
bjiiin
=)

Bill Falcão disse...

Um post generoso, bem recheado de amizade e amor. Gostei!
Bjoo!!

Hosana Lemos disse...

aaiii, quase choroo.
que lindo, quanto amor puro!!
*-*

belíssimo.

Taynara Ambrósio disse...

Liiiiindo, boa sorte no letra e música :D
bjs :*