O refúgio das minhas respostas



Hoje eu chorei, um choro alto cheio de soluços. Uma decepção fez meu coração apertar, mesmo sorrindo para não demonstrar, eu chorei; meu coração chorou. Hoje me senti só, gelada, quebrada. Nunca ninguém vai sentir isso, pois minha alma chora junto, e essa dor é só minha.   
O sangue que percorre as minhas veias sente falta de calor; calor humano. Talvez eu seja feita para viver sozinha, mas a cada percorrida de olhares eu me afundo na solidão. Esta tal solidão que se tornou minha amiga é muito ciumenta, não há fundamentos, apenas dor.   
Eu sinto falta dos meus amigos, mesmo rodeada de pessoas, aquela me falta. Talvez eu escreva uma carta, talvez ele não me responda. Eu tenho medo, medo de perder quem eu amo, medo de crescer, medo de ser líder, medo de me abrir. Eu tenho medo de ser eu mesma.   
A solidão é só mais uma desculpa onde eu me escondo, talvez ela já tenha virado um muro o qual esconde a minha visão. Hoje eu resolvi não chorar mais, mesmo que eu me sinta sozinha, sempre haverá alguém ao meu lado, nem que seja a própria solidão.   
Eu olho para tudo que conquistei e choro, de verdade; lágrimas percorrem o meu rosto neste dia frio em que me encontro. É por tudo que conquistei que quero seguir em frente, a solidão é só mais um sentimento dos vários que tenho. Quando me fecho, a solidão me abraça, toma conta de mim, e é nela que eu encontro as respostas para todos os meus fins.


--P.S. É na solidão que eu escrevo os meus textos, pois as pessoas mais profundas são aquelas que gostam de estar sozinhas. A solidão não é minha prisão, mais sim o meu refúgio, onde eu encontro todas as respostas das questões que me pergunto. Este texto foi tão profundo para mim que a verdade é que eu chorei escrevendo-o, os calafrios tomaram conta de mim, e a solidão me ajudou, mais uma vez, a ser tão profunda quanto o poço da liberdade.


Pauta da Fernanda, do blog Writeland (o PS também é dela). Me identifiquei tanto que quis repostar aqui. Obrigada, Fer, por ter deixado.

2 escafandrinhos disseram algo:

Camila. disse...

Já tinha lido esse texto no blog dela,
também me identifiquei muito *-*

Leticía Gomes disse...

é, eu gostei demais dessa pauta. ela escreve muito bem mesmo;