Altas Poesias


Ontem eu estava completamente sem sono... Essas maratonas de feriados implantam um tipo contagioso de insônia no corpo das pessoas, francamente...
E é lógico, eu comecei a escrever minhas lindas poesias. Eu só não vou chamar essa aqui de poema porque acho que não obedece à norma de organização de um poema, como rimas, parágrafos etc... O nome é "Logo Eu" e eu escrevi ao som de "Turn It Off", da banda Paramore,em apenas 8 minutos.
.
Estávamos próximos de sermos perfeitos
E tudo conspirava para a perfeição
Mas é incrível como tudo muda
E o pior é que nem sinto a sua falta
Não consigo me arrepender, não consigo chorar
Logo eu, tão insegura, e tão extrema
Acho que tenho aflição das memórias
Não gosto de lembrar de seu rosto
Odeio essa minha frieza, essa falta de sensibilidade
Logo eu, tão sentimental, tão frágil
Porque eu sempre fui de me desesperar
E querer voltar, e tentar recomeçar
Não vou fazer isso, não sinto nem a vontade
Logo eu, tão preocupada, tão precipitada
Porque nunca quis ter começado daquele jeito
Me diga porque você teve que ser tão perfeito
E nem me deixou um motivo, não deu brexa
Logo eu, tão desesperadamente apaixonada por você.
.
Agora, relendo a poesia, eu vi que até tem algumas rimas acidentais. Deve ter bastante erro gramarical, porque escrevi na madrugada. Achei também um pouco contraditório, e de difícil interpretação. Bom, de qualquer forma, é sentimento, e é isso o que conta.

0 escafandrinhos disseram algo: