Gettin' harder to believe

Eu feri meus dedos ao tentar alcançar estrelas. Percebi que o Sol está mais perto do que meus sonhos. Então eu me curvo para alcançá-lo, e o vejo despedaçar em cem flocos de neve. A pior parte é que não consigo parar. Se me viro de costas, apago as lembranças, se me viro de lado, vejo tudo ir embora. Se sigo reto, sinto que você estará lá, e se fico parada, sou puxada pelo chão.
Seja vindo ao meu mundo, aqui não há muitas regras, pois eu aprendi a me desfazer delas enquanto caminhava. Agora, correndo como nunca, eu deixei de admirar as flores. Tudo corre e diminui atrás de minhas pegadas.
Minhas roupas pequenas ficaram para trás, meus fios de cabelo ficaram para trás. Meu sorriso desnecessário ficou para trás, mas apenas para acompanhar minha antiga força de vontade.
Nesse exato momento, sinto parte de mim ficando para trás também. Tem um gosto bom, mas não quero que vá embora. Não quero que se perca, que se esconda atrás de meus olhos.
Dia pós dia, eu vejo essa parte ficando gasta. Eu não quero perdê-la. Eu não posso perdê-la.
Condições de existência já se apegaram à mim, essas sim eu quero que vão embora. Quero voltar a ser pura. Quero voltar a pecar sem saber do pecado. Quero esquecer das horas, quero acreditar no "eu te amo" que me fazia quente por dentro. Como dois anos atrás.
Por que estou me tornando tão fria? A sociedade está me corrompendo também? Jurei a mim mesma que o mundo não iria me mudar, mas ser eu mesma está cada vez mais difícil.

0 escafandrinhos disseram algo: